Mais de 500 visitas virtuais foram realizadas em Presídios Femininos em três meses

Modalidade foi liberada no início de maio para ajudar as reeducandas a manter os vínculos com os familiares

sex, 11/08/2023 - 16h50 | Do Portal do Governo

Todos os sábados, Maria (nome fictício) e Ana Keller ficam ansiosas para conversar. Desde maio, as duas conseguem matar um pouco da saudade que sentem, por meio de uma videochamada.

Ana mora no Maranhão e não consegue visitar a irmã, que está na Penitenciária Feminina de Tupi Paulista, na região oeste do estado de São Paulo, desde fevereiro deste ano.

“A visita virtual permite estar mais próxima dela. Todos os sábados a gente já fica ansiosa para a gente se ver. Ela em um estado e eu em outro, então a visita virtual para mim tem sido muito bom e tem nos ajudado muito. Espero que esse projeto continue, porque quero ver minha irmã mais vezes”, afirma Ana Keller.

Desde maio, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) passou a disponibilizar o programa Visita Virtual Feminina, por meio do sistema Conexão Familiar, da Coordenadoria de Reintegração Social e Cidadania (CRSC). A medida tem o objetivo de estreitar os vínculos entre reeducandas e seus familiares. Desde que a modalidade foi permitida, foram efetuadas 506 visitas virtuais.

Ana Keller conta que antes da ferramenta ser disponibilizada, as duas conversam por e-mail. “Mas não é igual do que a vista virtual, porque a gente consegue se ver, consegue conversar melhor”. O próximo passo será incluir os filhos de Maria que moram com a avó no Maranhão, para que elas possam visitar a mãe de forma virtual.

Como funciona

Familiares de reeducandas das 21 unidades prisionais femininas do Estado têm a opção de agendar visita a distância por meio do sistema Conexão Familiar que consta no site da Secretaria. Em estudos recentes, a SAP identificou que as unidades que abrigam mulheres presas apresentam um baixo número de visitas.

“Muitas mulheres, especialmente as que são mães, encontram dificuldades para receber visitas de seus filhos menores. E para ajudar os familiares, que muitas vezes são responsáveis e guardiões dos filhos das reeducandas, mas não têm condições de visitá-las, e como não queremos que os vínculos familiares de percam, foi pensado na implantação da Visita Virtual Feminina”, explica Carolina Maracajá, Coordenadora de Reintegração Social e Cidadania.

A iniciativa é fruto de uma proposta idealizada pelo Comitê da Mulher Presa e Egressa do Sistema Prisional e pela CRSC, e é válida para todas as unidades prisionais femininas do Estado.

A ação é uma continuação do projeto Conexão Familiar iniciado durante a pandemia de Covid-19, em 2020, quando houve a implementação de visitas virtuais em todos os presídios paulistas, já que as visitas presenciais estavam suspensas por questões sanitárias. Apenas as pessoas regularmente cadastradas no rol de visitas dos reeducandos podem solicitar o agendamento para visita virtual pelo endereço: https://www.adowp.com

Lá, deverão optar pela opção Conexão Familiar – Visita Virtual. Quem já havia se cadastrado durante a pandemia, continua com o registro válido. O familiar que optar pela modalidade de visita virtual, só poderá retornar ao modo presencial após 90 dias da mudança.

As visitas virtuais serão de 10 minutos para permitir que mais visitantes possam entrar em contato com seus familiares sob custódia da SAP.